• NOTÍCIAS
  • Brasil já pesquisa biocombustível de segunda geração
  • Patrícia Mariuzzo

 

O Centro de Tecnologia Canavieira, CTC, entidade técnica da indústria da cana-de-açucar do Brasil, fechou um acordo de colaboração de pesquisa com a empresa dinamarquesa Novozymes. O objetivo é desenvolver bioetanol a partir do bagaço da cana. Baseado numa tecnologia de enzimas, o processo permitirá produzir quantidade maior de álcool, possibilitando economia no processo, equilíbrio de energia e redução nas áreas de plantio e na emissão de gases estufa.

O acordo foi firmado no dia 13 de setembro, durante a visita do presidente Lula à Europa a Dinamarca. "Este acordo faz parte de uma série de outros esforços que realizamos para identificar processos economicamente rentáveis na área de desenvolvimento de biocombustíveis a partir de material vegetal e outras biomassas e, embora sejam necessário alguns anos até sabermos em que dimensão esta cooperação poderá ser comercializada, podemos ver nela um potencial considerável", afirma o presidente da Novozymes, Steen Riisgaard.

O CTC realiza pesquisas na área de cana de açúcar nas áreas de logística, agronomia, colheitas mecânicas, biotecnologia, controle biológico, sementes de alta qualidade, geoprocessamento e outras.

A Novozymes cria soluções biotecnológicas melhorando o uso dos recursos naturais com objetivo de aumentar o desempenho industrial de seus clientes.

 

 

Quem somos | Vendas e assinaturas | Publicidade | Fale conosco

Revista Conhecimento & Inovação
ISSN 1984-4395

Realização: