• NOTÍCIAS
  • Brasken investe na produção de matérias-primas renováveis

Depois de ocupar espaço do petróleo na produção de combustíveis, a cana de açúcar avança também na indústria petroquímica, agora como fonte de matérias-primas antes retiradas do petróleo. É o caso do propeno, matéria-prima para a produção da resina polipropileno, plástico empregado na indústria de autopeças e de embalagens rígidas. A Braskem, líder do mercado latino-americano de resinas termoplásticas, anunciou investimentos de US$ 5 milhões para produzir propeno a partir de etanol, ampliando o portfólio das chamadas resinas verdes da companhia.

A empresa foi pioneira no desenvolvimento de outra resina plástica a partir de fonte renovável, o polietileno, produzido a partir de eteno que resulta do álcool da cana-de-açúcar. A unidade piloto da operação com propeno será construída no Centro de Tecnologia e Inovação da fábrica de Triunfo, no Rio Grande do Sul. “Queremos que todo o portfólio da Braskem tenha a opção de matéria-prima renovável”, disse Luís Fernando Cassinelli, diretor de inovação e tecnologia da empresa, em entrevista para o jornal Gazeta Mercantil. A aposta da empresa é de quem até 2015, entre 10% e 20% do mercado global de plástico utilize matérias-primas reonováveis. Entre os nichos vislumbrados estão o de embalagens de cosméticos e de alimentos.

(Patrícia Mariuzzo - Setembro/2007)

Quem somos | Vendas e assinaturas | Publicidade | Fale conosco

Revista Conhecimento & Inovação
ISSN 1984-4395

Realização: