Abril / maio / junho de 2010
  • Doutoranda da UFSCar recebe o Prêmio Petrobras de Tecnologia

 

A aluna Cristiane Alves Sierra Pereira, foi uma das vencedoras do 5º Prêmio Petrobrás de Tecnologia. Seu trabalho sobre "Catalisadores de Cu (II) ou Fe (III) Suportados em Tio2 - Atividade no Abatimento de Emissões de Óxidos de Nitrogênio" foi premiado pela empresa na categoria de Tecnologia de Preservação Ambiental.

 

 

 

O estudo foi desenvolvido por Cristiane, aluna do programa de pós-graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e faz parte de um conjunto de projetos na área de Catálise Ambiental, que são coordenados pelo professor Ernesto A. Urquieta-Gonzalez.

 

 

 

A pesquisa desenvolvida permite a construção de tecnologias que atuem na redução das concentrações de óxidos de nitrogênio na atmosfera, que estão presentes nos gases emitidos pelas indústrias e queima de combustíveis fósseis, como a gasolina. “O foco do trabalho foi o de maximizar a conversão de óxido de nitrogênio (NOx) a nitrogênio através de processo envolvendo catalisadores contendo óxidos de metais de transição como o cobre, ferro ou cobalto depositados numa matriz de titânia.”, explica Cristiane.

 

 

Os catalisadores são bastante atrativos, pela alta eficiência de seus processos, entre 80% e 100%. Além de que, segundo explica Cristiane, há uma aplicação bastante promissora para esse trabalho, “esse tipo de catalisador poderá ser aplicado nas plantas industriais de craqueamento de derivados de petróleo, uma vez que existem no Brasil um número significativo dessas unidades e onde são geradas grandes quantidades de NOx.”.

 

 

 

 

A premiação dos trabalhos

 

 

 

A premiação é concedida ao autor de cada trabalho, ao orientador e à instituição em que atuam. Além de receber um troféu do Prêmio Petrobrás de Tecnologia, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) confere aos vencedores bolsas de estudos para elaboração de teses de mestrado, doutorado ou pós-doutorado em instituições de ensino superior nacionais, de acordo com a sua formação acadêmica. A Petrobrás também oferece prêmios em dinheiro (entre R$10 mil e R$20 mil) aos autores e aos professores orientadores dos trabalhados premiados.

 

 

 

O número de trabalhos inscritos tem aumentado a cada ano, nesta 5ª edição foram mais de 500 inscrições, nas nove áreas temáticas de tecnologia, sendo: de energia; de exploração; de gás; de logística de transporte de petróleo, gás e derivados; de perfuração e de produção; de preservação ambiental; de produtos; de refino e petroquímica; de segurança e desempenho operacional.

 

 

 

A maior parte dos trabalhos inscritos vem de instituições da região Sudeste, seguida pela região Nordeste e depois Sul. A área temática com maior número de inscrições é a de tecnologia de preservação ambiental, seguida pelo tema tecnologia de energia. Sendo que nos últimos quatro anos não houve nenhum trabalho inscrito para os temas de tecnologia de recuperação de petróleo, tecnologia de produção e tecnologia de segurança operacional e preservação ambiental.

 

 

 

Não apenas os prêmios incentivam os alunos a inscreverem seus trabalhos, mas também a divulgação que isso pode os proporcionar. “Acredito que o Prêmio abrirá muitas portas para mim. É indiscutível que ganhar um prêmio dessa magnitude terá grande peso em meu currículo. Acredito também que o trabalho tem grande importância para fortalecer ainda mais nosso grupo de pesquisa”, afirma Cristiane.

 


 

Quem somos | Vendas e assinaturas | Publicidade | Fale conosco

Revista Conhecimento & Inovação
ISSN 1984-4395

Realização: