Abril / maio / junho de 2010
  • Todos pela inovação
  • Sabine Righetti, de Curitiba

Reunidos na Conferência anual da Anpei, empresários, gestores e acadêmicos concordam que a institucionalização da inovação já é uma realidade no país

A inovação tecnológica já é uma realidade nas empresas brasileiras. Esse foi o tom da X Conferência Anpei de Inovação Tecnológica, que teve início nesta segunda-feira (26 de abril), em Curitiba, Paraná. O evento reúne, em três dias de discussão, cerca de 750 empresários, gestores, jornalistas e acadêmicos do país para discutirem diversos aspectos da inovação de processo, de serviços e de produtos, desta vez sob o âmbito da cooperação para inovação sustentável.

“A inovação está se tornando o caminho do empresário brasileiro”, destacou Maria Angela do Rego Barros, presidente da Anpei desde 2008 e também responsável pela área de relações governamentais para pesquisa, desenvolvimento e inovação da Motorola. Para ela, a inovação é uma opção individual, das empresas e, agora, do país. Mas ainda há gargalos: “precisamos reduzir a insegurança jurídica para inovação”, afirmou na sessão solene de abertura da X Conferência.

No mesmo sentido, Rodrigo Loures Rocha, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), destacou que a inovação já é uma realidade. “O povo quer inovação, os acadêmicos querem inovação, os empresários querem inovação.” Para ele, a recente inserção do Brasil no cenário internacional foi motivada pela inovação tecnológica.

Ainda sobre o papel do Brasil em cenário global, o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), Luciano Coutinho, lembrou que o país conseguiu superar a recente crise econômica mundial – uma das piores já vistas até então, na opinião dele, - por conta da capacidade inovativa dos nossos empresários. Coutinho, que também estava presente na abertura, disse que a inovação é um dos imperativos essenciais para o desenvolvimento do Brasil, especialmente quando se trata de inovação de processos, já que possibilita a geração de ganhos consistentes de produtividade e a sustentação de lucros robustos. “Precisamos de confiança e de ousadia”, disse.

O presidente do BNDES destacou ainda a importância do aumento dos dispêndios em inovação que, hoje, giram em torno de 1,15% do PIB nacional no Brasil e, no Estado de São Paulo, 1,5% do PIB estadual. “Queremos ter 2% do PIB nacional em inovação nos próximos anos”, disse.

Ainda na sessão solene de abertura, o Governador do Paraná, Orlando Pessuti (PMDB), aproveitou a conferência para anunciar o anteprojeto de Lei de Inovação do Estado do Paraná, seguindo o caminho trilhado por alguns Estados como São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro e Ceará, que recentemente desenvolveram suas respectivas leis estaduais com arcabouço legal e incentivos para as empresas desenvolverem inovação regional.

A X Conferência da Anpei segue até quarta-feira, 28 de abril. Parte das discussões dará base para a IX Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que acontecerá de 26 a 28 de maio, em Brasília, sob o tema “desenvolvimento sustentável”.

Quem somos | Vendas e assinaturas | Publicidade | Fale conosco

Revista Conhecimento & Inovação
ISSN 1984-4395

Realização: