Abril / maio / junho de 2010
  • PÍLULAS
  • Segurança na palma da mão
  • Clayton Melo
Foto: Divulgação


O Bradesco vai investir neste ano R$ 250 milhões em biometria, sistema que permite que os correntistas sejam identificados e autentiquem transações bancárias por meio da característica vascular da mão, capturada por um sensor infravermelho. Iniciado em 2006 pelo banco, com o objetivo de reforçar as operações nos caixas eletrônicos, o projeto vai ser ampliado porque a instituição considera que a fase de testes com a tecnologia foi bem-sucedida. O objetivo é levar o recurso para pelo menos 70% dos terminais de auto-atendimento (ATMs) da companhia até o final de 2011. O sistema de identificação que utiliza a palma da mão (Palm Secure) foi desenvolvido pela fabricante japonesa Fujitsu. Seu funcionamento se assemelha ao de um scanner, que capta a imagem do padrão vascular da palma da mão. Assim, toda vez que o correntista acessar um caixa eletrônico, basta ele colocar a mão sobre a máquina para que ela reconheça as informações armazenadas e libere a transação. Ao investir da biometria, o Bradesco pretende um dia aposentar as senhas convencionais.

Quem somos | Vendas e assinaturas | Publicidade | Fale conosco

Revista Conhecimento & Inovação
ISSN 1984-4395

Realização: