• Capes anuncia três novas modalidades de financiamento
  • Agência SBPC

O presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Brasil (Capes), Jorge Almeida Guimarães, anunciou na manhã de ontem (14/07) três novos programas de financiamento da entidade para estudantes de graduação e pós-graduação do País. As informações foram divulgadas durante a conferência “O desafio da pós-graduação no projeto estratégico para o desenvolvimento amazônico”, ministrada por ele, às 10h30, durante a 61ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Manaus (AM). A Reunião acontece até a sexta-feira desta semana no campus na Universidade Federal do Amazonas (Ufam).


A primeira medida foi a liberação do “Bolsa Para Todos”, uma linha de financiamento, aberta via edital, que permitirá a todos os estudantes de mestrado e doutorado das regiões norte e centro-oeste do Brasil terem acesso a bolsas para finalizarem seus cursos. Hoje, de acordo com Guimarães, um terço dos estudantes tem emprego e não tem bolsa, outro terço possui bolsa e está sem emprego e um terço não possui nem bolsa e nem emprego. “É nesse contexto que queremos atuar, distribuindo bolsas para esse terço menos favorecido de estudantes, que não possui remuneração alguma”, salientou Guimarães.


A partir do mês de agosto, o edital será disponibilizado e os estudantes poderão começar a ser beneficiados, conforme anunciou o presidente da Capes. “Todos os cursos de pós-graduação, sejam de universidades federais ou particulares, mas que tenham o reconhecimento da Capes, terão acesso às linhas de financiamento para que os discentes, enquadrando-se nos editais, ganhem as bolsas”, afirmou.


A segunda medida diz respeito a um programa voltado para estudantes de graduação. Serão concedidas bolsas de estudo para que os graduandos, durante as férias, possam fazer intercâmbio em centros de pesquisa avançados. “É muito melhor que um estudante passe suas férias custeadas pela Capes, em um ambiente acadêmico ou em um laboratório, do que ficar três meses sem fazer nada”, disse Guimarães.
O edital será denominado “Iniciação à educação científica”, segundo o presidente da Capes, para que não haja confusão com o Programa de Iniciação Científica (Pibic). “Em países africanos, um projeto desta monta já foi realizado com sucesso. Agora, queremos implantá-lo no Brasil. Inclusive em Santarém (PA) já houve uma importante experiência nesse sentido na qual vamos dar novos aportes”, antecipou, ressaltando que as regiões norte e centro-oeste também são prioritárias para receber esse fomento.


A terceira medida se refere a docentes titulados em nível de doutorado e com vasta experiência em pesquisa. São professores-pesquisadores seniores das universidades brasileiras que, a partir de auxílios financeiros, poderão dar capilaridade a novos programas de pós-graduação em todo o Brasil, organizados por doutores mais jovens. "Aos professores novos que entrarem nas universidades e que tenham o título de doutor, os seniores auxiliarão para que eles se juntem e construam novos cursos de pós-graduação dentro das universidades”, explicou Guimarães, indicando que esse programa é aberto para todo o País.


Programas fixos – Além do conjunto de três novas modalidades de bolsas, sendo duas delas específicas para as regiões norte e centro-oeste e outra para todo o Brasil, existem, em editais de fluxo contínuo na Capes, os programas de Formação de Professores de Educação Básica e o Pibic, que auxiliam na formação de estudantes em início de carreira acadêmica.


No âmbito estadual, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) também auxilia os discentes do estado, em níveis de mestrado e doutorado, com bolsas de variam de R$ 1,3 mil a R$ 2,7 mil, por mês. Esses valores são os maiores do Brasil, segundo a própria Capes.

 

Renan Albuquerque, da Fapeam, para a Agência SBPC

Quem somos | Vendas e assinaturas | Publicidade | Fale conosco

Revista Conhecimento & Inovação
ISSN 1984-4395

Realização: