Janeiro / fevereiro / maro de 2009
  • NOTAS INOVAÇÃO
  • Um giro pelas Faps


Rio Grande do Sul

A Fapergs recebeu oito propostas de projetos em resposta ao edital 04/2008, para execução do programa denominado “Ação Rede Guarani/ Serra Geral”, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O objetivo da Fapergs é gerar conhecimentos técnicos e científicos para a proteção e uso sustentável das águas do Sistema Integrado Aquífero Guarani – Serra Geral, no sul do Brasil, e proposição de um marco legal com vistas à gestão transfronteiriça do sistema. Ao todo serão aportados R$ 257.460,86, sendo R$ 128.730,43 por parte do CNPq, para despesas de custeio e R$ 128.730,43 por parte da Fapergs, para despesas de custeio e capital.

O Aquífero Guarani é um dos maiores mananciais de água subterrânea do mundo e localiza-se no Brasil, Argentina, Paraguai e no Uruguai. No Brasil, ocupa uma área correspondente a 2/3 da sua área total, abrangendo, parcialmente, os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Diante a magnitude e complexidade dos aspectos hidrogeoquímicos e ambientais do aquífero, e para que se tenha um aproveitamento racional das águas do sistema, é fundamental a integração de diferentes polos de conhecimento, com a perspectiva de aglutinar ações e otimizar a aplicação de recursos.

Minas Gerais e São Paulo

As fundações de amparo à pesquisa de São Paulo e de Minas Gerais já têm o resultado da chamada para o Programa Fapesp de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN) e do convênio entre as instituições. Dois projetos foram selecionados para serem desenvolvidos conjuntamente entre instituições paulistas e mineiras: “Análise dos mecanismos de tolerância à seca em cana-de-açúcar através do uso da análise transcritômica e metabolômicaselecionados”, do Instituto de Biologia da Unicamp e “Redes regulatórias da cana-de-açúcar”, do Instituto de Química, da USP.

O objetivo do programa é criar conhecimento e formar competências e alianças estratégicas que contribuam para o desenvolvimento científico e tecnológico sobre o tema “Etanol: fontes, processos de produção, tecnologia de utilização como combustível e certificação” nos dois estados. Para a realização das atividades, serão utilizados laboratórios acadêmicos e industriais, promovendo, assim, o avanço do conhecimento e sua aplicação em áreas relacionadas à produção do bioenergia no Brasil.

O Bioen inclui cinco divisões: Biomassa para Bioenergia (com foco em cana-de-açúcar); Processo de Fabricação de Biocombustíveis; Biorefinarias e Alcoolquímica; Aplicações do Etanol para Motores Automotivos: motores de combustão interna e células-combustível; e Pesquisa sobre impactos socioeconômicos, ambientais, e uso da terra.

spallone@unicamp.br

Quem somos | Vendas e assinaturas | Publicidade | Fale conosco

Revista Conhecimento & Inovação
ISSN 1984-4395

Realização: